sábado, 29 de novembro de 2008

MANTRA



- senta nesta cadeira de balanço; põe os pés sobre o frio do chão, distenda os braços sobre o espaldar da cadeira, feche os olhos no fitar do longe; veja a lebre correndo sobre a relva miúda, sinta o cheiro do capim molhado de orvalho e daquela flor que num átimo desabrochou pra ti.
- se queres dormir pois durma; e sonhe: a esquiar em ziguezague sobre montanhas brancas, a embebedar da beleza da queda da cachoeira, a saltitar de braços abertos ao encontro daquele riacho pra enxergar refletido o teu sorriso e banhar nua em suas águas.
E eu te afago as costas em movimentos ternos e seguros; meu polegar busca teus desígnios: omoplatas nuca lóbulos;
assim assim...


sobre a obra

esse "MANTRA" eu dedico à
Doroni Poeta Baré

imagem: photobucket

Um comentário:

doroni disse...

Querido Carlos,

Com esse maravilhoso Mantra,
vc encheu meu coração de alegria.
Uma emoção indescritivel!
Um MANTRA, tem algo de SAGRADO, e esse, que saiu do seu coração, é DIVINO!
bjs e meu carinho sempre.
Doroni